terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Qualidade de Vida


Vá de bike




Seja para fugir do trânsito ou na tentativa de preservar o meio ambiente, a bicicleta como meio de transporte já ganhou vários adeptos.


Pedaladas do bem

Além de não lançar gases poluentes no meio ambiente e poder fugir do trânsito, a pedalada ajuda a manter o corpo em forma. Segundo instrutores de academia, pedalar por uma hora gera um gasto de até 300 calorias e aumenta a resistência do coração, pois o organismo capta mais oxigênio. Como na maioria das atividades aeróbicas, que exigem mais do coração,a melhor opção é manter o ritmo do exercício. Além disso, andar de bicicleta fortalece o corpo inteiro, principalmente as pernas, as coxas e panturrilhas são as mais favorecidas.

Falar num gasto de 300 calorias traz à mente a ideia de transpiração, suor, o que provavelmente inviabilizaria a ida ao trabalho usando a bicicleta, certo? Que nada, segundo especialistas, o suor só incomoda nas primeiras pedaladas. Ele diminui conforme a pessoa vai ganhando condicionamento  físico e percebe que não é preciso pedalar com tanta força.

Mas antes de sair por aí pedalando é melhor tomar alguns cudados. A pessoa deve consultar um médico antes, para saber se está em condições de praticar exercícios. Depois deve buscar a orientação de um profissional que auxilie nos exercícios. Por fim,  o principal é que a maioria se conscientize de que precisa mudar, e que para isso, não adianta ficar só reclamando e esperando mudanças. Precisamos fazer parte da mudança, por fazer a nossa parte: mudando hábitos, conceitos. Compreendi como a vida pode ser melhor se ajudarmos o planeta.


 

Parar de fumar também é uma questão de nutrição!  




Fonte:www.gettyimages.com.br


Já está mais que comprovado que o tabaco traz grandes malefícios para a saúde. Na relação cigarro-alimentação, há fatores determinantes para passar longe da fumaça. Os danos vão desde ao comprometimento da percepção dos sabores à xerostomia – diminuição da produção da saliva. Além disso, a nicotina aumenta o consumo de oxigênio, favorecendo a ação dos radicais livres, que danificam as estruturas celulares e comprometem seu funcionamento.

O tabaco também interfere na produção de secreção gástrica, alterando os níveis de glicose e colesterol sanguíneos, provocando com isso a redução da concentração sérica de vitamina C, tão primordial na proteção contra os radicais livres.

A fumaça, composta por mais de 4.700 substâncias, favorece a resistência à insulina e a deposição de gordura central. Filhos gerados por mães fumantes ganham como herança risco elevado de baixo peso ao nascer e predisposição para maior consumo de carboidratos na vida adulta. Ademais, o excesso de substâncias tóxicas sobrecarrega o processo de detoxificação hepática.

Parar de fumar envolve mudança de hábitos, o que inclui cuidar da alimentação e adotar uma atividade física regular. Portanto, o medo de engordar não deve ser fator impeditivo para a interrupção. A orientação para evitar a compulsão alimentar é estabelecer uma dieta anti-inflamatória rica em substâncias antioxidantes que modulam a ação do cortisol e promovem a produção de serotonina. É importante investir em vegetais, sucos naturais e frutas. O bom consumo de água também ajuda a desestimular o hábito. Vale evitar bebidas alcoólicas e alimentos ricos em cafeina, que contribuem para o desejo de fumar.

 Paulo Lima, assessor de imprensa, contribuiu para a elaboração deste texto.

Siga Sua Dieta